REDES SOCIAIS E COMUNIDADES VIRTUAIS PARA A PRESERVAÇÃO E TRANSMISSÃO DAS TRADIÇÕES GAÚCHAS NA INTERNET

Caroline Kraus Luvizotto, Silvana Aparecida Borsetti Gregorio Vidotti

Resumo


Considerando a potencialidade apresentada pelas tecnologias de informação e comunicação na atualidade este estudo aponta as formas pelas quais grupos sociais mobilizados em torno de uma vinculação étnica podem se servir do aparato da Internet, em especial do World Wide Web, para divulgar aspectos de sua cultura e modo de vida. Trata-se de grupos dedicados ao ensino, transmissão, preservação e disseminação da tradição gaúcha vinculados aos Centros de Tradições Gaúchas (CTG). Especificamente, este artigo apresenta como os tradicionalistas gaúchos estabelecem suas redes sociais na Internet, constituindo comunidades virtuais em torno do tema cultura e tradição gaúcha, fazendo uso dos serviços da Web 2.0. Abordam-se neste estudo experiências que indicam que o terreno virtual é fértil e possível de transformar e revolucionar o campo das tradições, sua preservação, disseminação e (re)invenção. No contexto de modernidade tardia esse recurso não pode ser descartado. Independente da análise se situar no campo econômico, político ou cultural, entre tantos outros, o fato é que a Internet se constitui num meio eficaz e abrangente de transmitir, ensinar e preservar conteúdos de todos os tipos

Palavras-chave


Tradição; Modernidade Tardia; Redes Sociais; Comunidades Virtuais; Tradições Gaúchas; Tecnologias de Informação e Comunicação; Ambientes Informacionais Digitais

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários



Informação & Sociedade: Estudos - ISSN: 1809-4783