A ABEBD e o currículo de bacharelado em Biblioteconomia no Brasil, de 1967 a 2000

Francisco das Chagas de Souza

Resumo


Apresenta o recorte de estudo desenvolvido com o propósito de buscar a compreensão das ações de política institucional e acadêmica da Associação Brasileira das Escolas de Biblioteconomia e Documentação - ABEBD. O estudo ampara-se na teoria con(figuracional) de Norbert Elias; na teoria construcionista-interacionista de Berger e Luckmann e na teoria das representações sociais de Serge Moscovici. Para a coleta e tratamento de dados foi adotada a técnica do Discurso do Sujeito Coletivo. Os dados referentes a este recorte foram obtidos através de entrevistas. O objetivo foi: o de conhecer as representações dos dirigentes da ABEBD sobre o impacto que a entidade proporcionou na evolução do currículo de graduação em Biblioteconomia no Brasil. Após a análise do material coletado obteve-se um Discurso do Sujeito Coletivo. Com ele se pode perceber a existência de impactos positivos, quando se olha para os resultados que foram obtidos em relação às conseqüências da articulação das escolas brasileiras com as demais escolas situadas nos países do MERCOSUL.

Palavras-chave


ABEBD; Currículo de Biblioteconomia; Ensino de Biblioteconomia; Educação Bibliotecária no Brasil

Texto completo:

PDF

Comentários sobre o artigo

Visualizar todos os comentários



Informação & Sociedade: Estudos - ISSN: 1809-4783