Parâmetros para bibliotecas escolares brasileiras: fundamentos de sua elaboração

Bernadete Santos Campello, Vera Lúcia Furst Gonçalves Abreu, Paulo da Terra Caldeira, Ricardo Rodrigues Barbosa, Maria da Conceição Carvalho, Adriana Bogliolo Sirihal Duarte, Carlos Alberto Ávila Araújo, Márcia Milton Vianna, Janaína Ferreira Fialho, Maura Alvarenga

Resumo


Este artigo tem como objetivo descrever o processo de elaboração dos padrões para bibliotecas escolares brasileiras. Apresenta os princípios, referenciais teóricos e critérios que os embasaram. O objetivo principal dos padrões é apoiar as escolas no processo de implementação da lei 12244, que determina que, num prazo de 10 anos, cada escola conte com uma biblioteca. Levando-se em consideração que a referida lei aborda apenas genericamente o conceito de biblioteca escolar e que seu único indicador numérico é a quantidade de títulos que deve compor o acervo ─ um para cada aluno matriculado ─ os padrões visam a complementar a lei e contribuir para que cada comunidade escolar possa estabelecer o perfil da biblioteca de sua escola. Em nível mais amplo, os padrões permitem estudos comparativos que apóiem políticas públicas que visem à melhoria da qualidade da educação, considerando-se que boas bibliotecas escolares constituem elementos que influenciam positivamente o ensino básico. Os padrões contribuirão para que o processo de universalização das bibliotecas nas escolas do país se dê com qualidade, ou seja, para que cada escola conte com uma biblioteca de verdade.

Palavras-chave


biblioteca escolar; padrões; parâmetros

Texto completo:

PDF



Informação & Sociedade: Estudos - ISSN: 1809-4783