PELEJAS NA LITERATURA POPULAR DE CORDEL: construindo temas

Karcia Lúcia Oliveira Dias, Danielle dos Santos Souza Belisario, Maria Elizabeth Baltar Carneiro de Albuquerque

Resumo


A Literatura Popular de Cordel, enquanto patrimônio histórico e cultural do povo, principalmente do nordestino brasileiro, levou-nos ao estudo deste tipo de literatura e seu tratamento para recuperação nos acervos de bibliotecas. O estudo residiu na análise dos temas tratados nas pelejas da literatura popular de cordel, visando à sua recuperação. O corpus deste trabalho foi constituído de setenta e seis folhetos, que constituem a classe temática pelejas, classe esta proposta na tese de doutorado intitulada “Literatura popular de cordel: dos ciclos temáticos às classificações bibliográficas” que constituem o acervo do Centro de Documentação em Literatura Popular, criado pelo Programa de Pesquisa em Literatura Popular. Os folhetos de cordel foram analisados à luz da semiótica greimasiana, priorizando a semântica discursiva que culminou na determinação dos temas abordados nas pelejas da literatura popular de cordel e representados graficamente através de mapas conceituais, como ferramenta para organizar e demonstrar as relações existentes entre os temas e figuras. A análise dos folhetos de cordel possibilitou a identificação de oitenta e dois temas, sendo o confronto, o mais frequente, o que caracteriza e fortalece a temática das pelejas ao designar a disputa entre dois cantadores ou poetas.

Palavras-chave: Literatura Popular de Cordel. Representação Temática da Informação. Semântica Discursiva

Texto completo:

PDF EPUB

Referências


ALBUQUERQUE, Maria Elizabeth B. C. de. Literatura popular de cordel: dos ciclos temáticos à classificação bibliográfica, 2011. 322 f. Tese (Doutorado) – Programa de Pós-graduação em Letras, Universidade Federal da Paraíba, João Pessoa, 2011.

ALMEIDA, Atila A. Freitas de. Notas sobre a poesia popular escrita. In:____. Estudos em literatura popular. João Pessoa: Editora Universitária /UFPB, 2004. p. 135- 142.

ARAGÃO, Socorro Silva de. A socioterminologia e etnoterminologia das plantas medicinais no Nordeste. Revista Acta Semiotica et Lingvistica, v.15, a. 34, n. 1, p. 34-49, 2010.

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Teoria semiótica do texto. 4. ed. São Paulo: Ática, 2007. 96 p.

BELCORSO, Gianni. Um estudo da construção da personagem Garfield entre temas e figuras. São Paulo, [20--], p. 1-11. Disponível em: < http://www.mackenzie.br/f ileadmin/G raduacao/CCL/projeto_todasasletras/inicie/GianniBelcorso.pdf> Acesso em: 10 fev. 2012

BORGES, Francisca Neuma Fechine. Relações Polisotópicas na Literatura de Cordel. In:____. Estudos em literatura popular. João Pessoa: Editora Universitária / UFPB, 2004. p. 235 – 256.

CINTRA, Anna Maria Marques, et. al. Para entender as linguagens documentárias. 2. ed. São Paulo: Polis, 2002. 92 p.

LANCASTER, Frederick Wilfrid. Indexação e resumos: teoria e prática. Brasília: Briquet de Lemos/Livros, 1993. 347 p.

MEDEIROS, Irani. Literatura de Cordel: origem e classificação. In:____. Estudos em literatura popular. João Pessoa: Editora Universitária/UFPB, 2004. p. 313-327.

SALES, Rodrigo. Suportes teóricos para pensar linguagens documentárias. Revista Digital de Biblioteconomia e Ciência da Informação, Campinas, v. 5, n.1, p. 95-114, jul/dez. 2007.

SANTAELLA, Lúcia. O que é semiótica. São Paulo: Brasiliense, 2007. 84 p.

SILVA, Fernanda Isis C. da.; SOUZA, Edivânio Duarte de. Informação e formação da identidade cultural: o acesso à informação na literatura de cordel. Inf. & Soc.:Est., João Pessoa, v. 16, n. 1, p. 215-222, jan./jun. 2006.